Los Alebrijes: Para além do visual

24/01/2023 Por Tayaupa 1
Passeio de jaguar - Ofertas empresariais

Os alebrijes, essas esculturas de madeira enigmáticas e coloridas que surgem da imaginação e da habilidade dos artesãos de Oaxaca, no México, não são apenas objectos artísticos. Cada um destes seres fantásticos possui um significado cultural e simbólico que transcende a superfície visual e nos mergulha num mundo de mitologia, espiritualidade e ligações com a natureza.

Uma breve panorâmica histórica

Embora os alebrijes sejam atribuídos ao artista Pedro Linares, que em meados do século XX afirmou ter sonhado com estas criaturas durante uma doença, a sua origem não se limita a esta narrativa. A tradição dos alebrijes entrelaçou-se com as crenças e os mitos dos povos indígenas de Oaxaca, o que enriqueceu o seu património cultural e espiritual.

Mitologia e espiritualidade

Os alebrijes, na sua essência, são considerados seres espirituais e guardiões da dimensão do sonho. Têm origem nas tradições mitológicas Zapoteca e Mixteca, onde se acredita que os alebrijes habitam o mundo dos sonhos, actuando como protectores e guias espirituais. Estas criaturas fantásticas personificam frequentemente uma dualidade entre o bem e o mal, representando os desafios e conflitos interiores que todos enfrentamos.

Sonhos e realidade

A cosmovisão indígena de Oaxaca valoriza profundamente os sonhos como uma ponte entre o mundo terreno e o mundo espiritual. Os alebrijes, originários dos sonhos, tornam-se elos de ligação entre estas duas realidades. Estas esculturas não são apenas apreciadas pela sua estética visual, mas tornam-se também ferramentas espirituais para aceder a conhecimentos mais profundos e transcendentais.

A natureza como inspiração

Uma caraterística distintiva dos alebrijes é a sua relação com a natureza. As formas e as cores destas criaturas reflectem frequentemente a riqueza da biodiversidade e dos ciclos naturais. Cada alebrije é um testemunho da profunda ligação entre os povos indígenas e o ambiente que os rodeia. As formas híbridas dos alebrijes, que combinam características de várias espécies, simbolizam a interconexão de toda a vida no planeta.

O processo criativo e a tradição

A criação de um alebrije é um processo artesanal que envolve o entalhe da madeira e a pintura manual meticulosa. Os pormenores, as cores e os padrões geométricos não só embelezam as esculturas, como também transmitem a perícia e a destreza dos artesãos. Além disso, a tradição do fabrico de alebrijes é transmitida de geração em geração, preservando assim o património cultural e os conhecimentos da comunidade.

O desafio da comercialização

A popularidade crescente dos alebrijes levou à sua comercialização e produção em massa. No entanto, esta tendência pode comprometer a autenticidade e a riqueza da tradição. É essencial que o turismo e o comércio respeitem a cultura, a arte e os valores dos povos indígenas, promovendo práticas sustentáveis e respeitadoras.

A viagem ao interior dos Alebrijes

Em última análise, os alebrijes transcendem o meramente artístico. São portais para a espiritualidade, a mitologia e a relação com a natureza dos povos indígenas de Oaxaca. Cada figura esculpida convida-nos a explorar os recessos da nossa própria psique, a confrontar as nossas dualidades interiores e a ligarmo-nos aos ciclos naturais que dão vida a este planeta. Os alebrijes, com a sua rica história e simbolismo, recordam-nos que a arte é uma expressão da alma e um reflexo da diversidade cultural que enriquece o nosso mundo.

Presentes de executivos para empresas - Alebrijes